segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

“(...) Ai mesmo a dimensão imaginaria é enquadrada pela relação simbólica, e é por isto que o ódio não se satisfaz com o desaparecimento do adversário. Se o amor aspira ao desenvolvimento do ser do outro, o ódio quer o contrario, seja o seu rebaixamento, desorientação, desvio, delírio, negação detalhada, a sua subversão – e nisto, o ódio como o amor, é uma carreira sem limite”. (Idem: 316).
Lacan

4 comentários:

  1. Engana-se quem pensa que ódio é oposto de amor. Ambos são duas faces da mesma moeda.

    ResponderExcluir
  2. Contrário ao amor é a indiferença! O ódio é complementar ao amor!

    ResponderExcluir
  3. De fato, Ana Paula.
    :-)

    ResponderExcluir

Comente sobre o texto e recomende outros autores